Revista diz que papa decidiu renunciar após ler relatório sobre ‘Vatileaks’

Revista diz que papa decidiu renunciar após ler relatório sobre 'Vatileaks'

EFE

Revista diz que papa decidiu renunciar após ler relatório sobre ‘Vatileaks’

Cidade do Vaticano, 13 fev (EFE).- O papa Bento XVI decidiu renunciar ao pontificado em 17 de dezembro do ano passado, após receber um novo relatório sobre o escândalo do vazamento de documentos oficiais do Vaticano, conhecido como ‘Vatileaks’, que apontava uma ‘forte resistência’ na Cúria romana em relação às medidas de transparência exigidas por ele.

A revelação foi feita por um artigo da revista italiana ‘Panorama’.

Segundo a revista do grupo Mondadori, propriedade da família Berlusconi, em 17 de dezembro de 2012 Bento XVI recebeu os três cardeais que nomeou para investigar o vazamento de seus documentos pessoais e do Vaticano, que acabaram publicados em um livro de Gianluigi Luzzi e que levaram à prisão do mordomo do papa, Paolo Gabriele.

Os membros dessa comissão são os cardeais espanhol Julián Herranz, de 82 anos; o italiano Salvatore De Giorgi, de 82 anos, e o eslovaco Jozef Tomko, de 88 anos, que interrogaram cerca de trinta pessoas do Vaticano sobre o caso.

Os três apresentaram um amplo relatório com documentação, entrevistas e interrogatórios, que revelaram, de acordo com a revista, uma grande ‘resistência na Cúria à mudança e muitos obstáculos às ações pedidas pelo papa para promover a transparência’.

Segundo a publicação, o papa ficou ‘muito impressionado’ com os relatórios e só teve forças para contar sobre o conteúdo ao seu irmão, Georg.

‘Admitiu, talvez pela primeira vez, ter descoberto uma face da Cúria vaticana que jamais tinha imaginado. Antes do Natal começou a pensar seriamente em sua renúncia’, afirmou a ‘Panorama’ no trecho divulgado pela imprensa italiana.

Bento XVI, de quase 86 anos, disse hoje aos fiéis que renunciou ao pontificado ‘em plena liberdade e pelo bem da Igreja’ e após constatar que ‘lhe faltam as forças necessárias para exercer com o vigor necessário o Ministério Petrino’ (o Pontificado).

Em sua última grande missa, realizada hoje por ocasião da Quarta-Feira de Cinzas, o papa destacou a importância do testemunho de fé e vida cristã de cada um dos seguidores de Cristo para mostrar o verdadeiro rosto da Igreja. O pontífice acrescentou, no entanto, que muitas vezes essa face ‘aparece desfigurada’.

‘Penso em particular nos atentados contra a unidade da Igreja e nas divisões no corpo eclesial’, afirmou o papa. O Vaticano garante que Bento XVI renunciou apenas por questões de saúde.

Segundo o diretor do jornal vaticano ‘L’Osservatore Romano’, Gian Maria Vian, o papa tinha tomado a decisão de renunciar há muito tempo, após a viagem que fez ao México e a Cuba em março do ano passado, devido a sua avançada idade.

Deixe seu Comentario!

Email (Não será publicado) (Obrigatório)