Padre cancela casamento veja por quê!

casamento Padre cancela matrimônio em pleno altar. Você não vai acreditar o motivo!

O sacerdote Avelino Dalcantara, deixou os noivos e todos os convidados numa igreja em Plácido de Castro, no interior do Acre, perplexos.

Ele se recusou a dar continuidade a uma cerimônia de casamento quando observou que o noivo estava visivelmente excitado no altar sagrado. O fato, mais do que absurdo, aconteceu na igreja da paróquia da Santíssima Trindade, sob o olhar curioso de 100 convidados.

O pior é que o noivo, Carlos Teixeira Coelho, de 19 anos, confirmou que estava realmente com a “barraca armada”. Ele justificou o delito dizendo que estava namorando a noiva há dois anos sem qualquer relação sexual. O seja, enquanto todos se emocionavam com a união, ele estava em contagem regressiva para a noite de núpcias.

Impassível, o padre declarou ao jornal local que era impossível não reparar o volume da excitação do jovem. “Ele não estava com a cabeça na celebração. Não posso dar a benção a um casal que ao invés de pensar na graça do Senhor fica imaginando a graça que vai fazer depois da celebração”, afirmou.

Bravo, o noivo repudiou a atitude do religioso: “se o padre estava olhando para minha neca deve ser porque ele gosta de tomar na caneca”, reclamou Carlos.

A noiva, Ana Paula Oliveira, de 18 anos, é cantora no ministério de louvor da paróquia não escondeu o constrangimento. “E muita tristeza. Passo uma vida toda cantando no casamento dos outros e no meu eu sou humilhada por causa de viadice”, afirmou entre lágrimas.

Como não dá para se queixar ao Bispo, os noivos dizem que vão às barras dos tribunais. Eles buscarão na justiça uma indenização por danos morais e também querem a compensação financeira de prejuízos com o casório desfeito.

Deixe seu Comentario!

    Atualmente Temos 6 Comments Quero comentar!
  1. Nana disse:

      Padre desgraçado filho da puta se fosse eu da uma surra nessa desgrça pelada

  2. Patricia disse:

      Nossa isso é um absurdo desse padre,normal que o rapaz estava daquele jeito,tbm neh kkkk,nada haver.

  3. Gustavo disse:

      Vai acontecer nada ao padre, porque não é um contrato de Direito Civil – os cônjuges aparecendo, pagando e em troca uma “prestação de serviço” – , mas uma adesão à princípios de fé, cujo discernimento confere nesse caso ( § 1 can. 1075) à autoridade suprema da Igreja, sendo, naturalmente, católicos regidos por eles, amparados pelo Direito Canônico. Portanto, o assistente matrimonial, na figura do presbítero, não estará descumprindo em nada.

      Ainda, Não há dano moral algum, porque o fiel se submete à assistência do sacramento (can. 1055) que nesse caso precisa de uma livre deliberação dos cônjuges (48 GS) mais a presença sacerdotal ( § 1 can. 1108).

      O livre consentimento, que é espiritual ( § 3º can. 1063), é o princípio que rege a validade ( § 1 can. 1057) do sacramento. O sacerdote, observando que não há uma clara e livre deliberação da vontade associada à consciência do casamento (can. 1096), negue assistência ritual para sua validação, que pela dúvida de ausência dela, determinada por foro íntimo, embora confirmada união apelo rito (Santo Ofício – Ne Temere), só poderia ser oficialmente reconhecida inválida posteriormente pelo Magistério em Tribunal Eclesiástico, que obviamente, em razão de probabilidades futuras, como a “separação”, geraria transtornos de ordem jurídica eclesial.

      apesar de controversa sob o aspecto simplista e hedonista que a sociedade civil transfere à entidade sacramental do casamento, a atitude do padre, diligentemente guiada por princípios de fé, muitos deles positivado, foi muito mais que satisfatoriamente prudente.

  4. mauro disse:

      é muito facil falar quando uma pessoa faz um voto insane de castidade pois se o todo poderoso criador dos céus e da terra nos deixou a escrito que deveriamos procriar e povoar a terra então de que maneira conseguiríamos isto?.este padre deveria estar satisfeito que este jovens estavam ali para na viver uma relação ilícita como muitos vivem hoje em dia;quanto a situação do rapaz deveria ser visto de forma inteligente que isto é biológico e que em alguns momentos o padre deve ficar também,derrepente este casal saiu dali para um canto qualquer para ter a sua primeira relação ilícita.e o tal padre vai dar contas disto quanto for a sua hora de comparecer ao juízo final.

  5. Warley disse:

      Este site é de humor e as pessoas levando tudo a sério.
      Tenho um amigo que tudo do que ele lê na internet agredida.
      Semana passada ele ao clicar no ícone “…relacionamento sério…” no face de uma criança amigo dele apareceu o próprio face dele. Com raiva ele procurou a mãe do menino dizendo que a criança pôs que eles namoravam no face e que era pra criança tirar isso senão ele seria preso. A mãe da criança foi na casa da vó trazer imediatamente o menino. O menino explicou que qualquer pessoa que clique em “…relacionamento sério…”, aparece o face da própria pessoa.
      =D

  6. edilson disse:

      Gustavo, vc está errado em um ponto. o casamento no religioso é pago sim. vc paga pela cerimonia. nesse caso acredito q pode sim os noivos pedirem danos materiais. eu trabalho com cerimonias, se eu nao aparecer sou processado. porque o padre nao seria?

Email (Não será publicado) (Obrigatório)