O “Lata Velha” do “Caldeirão do Huck” não é nada disso que mostram na TV

Divulgação / Globo

O quadro “Lata Velha” do programa “Caldeirão do Huck“, da Globo, funciona da forma que muitos conhecem: uma pessoa tem um carro bastante velho e acabado, ela escreve para o programa e é selecionada. O contemplado pelo programa deverá executar uma tarefa que é escolhida pela produção e, se ele conseguir realizar a tarefa, ele ganhará o seu carro totalmente reformado por dentro e por fora por uma equipe de primeira do “Caldeirão do Huck”.

A princípio, tudo é muito bom e é um ato bastante generoso da parte do programa. Mas não é bem assim que as coisas acontecem por trás das câmeras. O campineiro Wagner Prado teve uma experiência em 2009 que começou muito boa, mas não terminou tão bem assim, conheça sua história.

 

Se por um lado, Wagner ganhou uma oportunidade de ouro, como informou o UOL Esporte, quando Luciano Huck decidiu investir em sua carreira e como seu padrinho, ele conseguiu entrar no Team Nogueira e no UFC. Ele era apenas um bom lutador sem oportunidades e por isso ele é muito grato ao Huck. Mas por outro lado, o seu carro reformado pelo programa não está nada bom. Para participar do quadro, o lutador até dançou vestido de drag queen em uma das tarefas.

Seu carro nunca andou como o imaginado, Wagner conta: “Cara, o Maverick é um caso assim, como eu posso falar… Não ficou do jeito que todo mundo esperava. Tudo deu certo na minha vida depois do ‘Lata Velha’, só o carro que não. Ele ficou lindo, como todo mundo viu nos programas e nas fotos, mas andando não ficou daquele jeito”. No momento da entrega do carro pela equipe do “Lata Velha”, ele foi descrito como “Motor zero km. Bateria de gel, filtro de ar esportivo. Tudo completaço. Mais 200 mil km para você andar sossegado aí”. No entanto não foi isso que Wagner vivenciou.

“O carro não andou uns 50 km, mas está bom, não vou reclamar da vida não. O motor e a suspensão dele estão ruins, passa um caroço de azeitona e parece que vai cair. Todas as vezes que andei com ele, teve que voltar de guincho”, conta Wagner. E ele diz que já tentou contato com Luciano e a equipe do programa, porém sem sucesso. Ele não foi o único a questionar sobre os serviços incompletos do programa de Huck. Em novembro do ano passado, os irmãos Falcão disseram que o pai ficou com bronca por causa do programa. Eles esperavam um espaço para a tão sonhada academia, mas o que conseguiram foi só um ringue.

Aparentemente, o “Caldeirão do Huck” não tem trazido às pessoas a alegria que promove nas telinhas.

Essa não é a primeira vez que esse assunto aparece aqui no blog leia Fraude no lata velha  aqui

Deixe seu Comentario!

Email (Não será publicado) (Obrigatório)