Gráficas criticam anúncio do Itaú com bebê e papel rasgado

A Associação Brasileira da Indústria Gráfica (Abigraf) encaminhou uma carta aberta à presidência do banco Itaú Unibanco questionando a campanha publicitária na qual um bebê dá gargalhadas ao ver seu pai rasgando folhas de papel. O anúncio para TV no qual aparece o bebê gargalhando fala sobre o uso da internet para acesso do extrato em vez de recebe-lo em papel pelo correio. Conforme a associação, o discurso do comercial, de que a suspensão dos extratos impressos contribuiria para um mundo mais sustentável, não condiz com as características da produção de papel e celulose no Brasil, que segundo a associação teria 100% de origem em florestas plantadas.

Para o presidente da Abigraf, Fabio Arruda Mortara, a associação não pode aceitar que uma instituição do porte do Itaú preste um “desserviço à sociedade”, transformando o papel de imprimir em “vilão”. Segundo ele, o principal objetivo da campanha é a busca da redução de custos operacionais. Diretores da associação se encontraram com diretores do banco para expor a insatisfação do setor com a campanha, no último dia 8. Segundo a Abigraf, pelo menos dez entidades ligadas à cadeia da comunicação impressa encaminharam cartas aos diretores do banco solicitando uma revisão conceitual da campanha. Por meio de sua assessoria de imprensa, o Itaú disse que não “desincentiva” o uso do papel. “A mensagem do filme está alinhada com o posicionamento da instituição de incentivar o uso consciente e sustentável, seja do dinheiro, do crédito ou do próprio papel”, …
diz o comunicado.

Deixe seu Comentario!

Email (Não será publicado) (Obrigatório)