Login CS - Teste Grátis
Garota Inca encontrada intacta depois de 500 anos congelada
Categorias: Curiosidades

Museu dos Andes exibiu em 2007 pela primeira vez menino e meninas sacrificados há 500 anos.
Ritual do império levava crianças nobres a morrer de frio no alto de montanhas.
Salta, Argentina – Além da donzela Llullaillaco (15), também foram encontrados o menino (7) e a menina do relâmpago (6): três crianças incas, que estavam sepultados em uma montanha árida e gelada há 500 anos como um sacrifício religioso. Perto da fronteira com o Chile, seus corpos congelados estão entre as múmias melhor preservadas já encontradas, ainda com sangue, orgãos internos são encontrados intactos como o coração, pulmões, apenas pele e características faciais foram pouco afetados. Nenhum esforço especial foi feito para preservá-los. O frio eo ar seco e fino fez todo o trabalho. Eles congelaram até a morte enquanto dormiam, e 500 anos depois, ainda se parecia com crianças dormindo, e não múmias.
Garota Inca encontrada intacta depois de 500 anos congelada
As crianças foram sacrificados como parte de um ritual religioso, conhecido como “capacocha”, no qual são colocadas em uma dieta de ganho de peso durante um ano inteiro antes de seu sacrifício e, em seguida, eles foram drogados e deixados em cima do vulcão Llullaillaco. Eles caminharam por centenas de quilômetros para cerimônias em Cuzco e foram levados até o cume do monte Llullaillaco (yoo-yeye-YAH-co), e, uma vez que eles estavam dormindo, colocadas em nichos subterrâneos, onde eles congelaram até a morte. Bonitas, saudáveis, as crianças fisicamente perfeitos foram sacrificados, e foi uma honra serem escolhidas. De acordo com as crenças incas, as crianças não morrem, mas se juntam aos seus ancestrais e vigiam suas aldeias a partir das montanhas como os anjos.
Uma das crianças, uma menina de 6 anos de idade, tinha sido atingida por um raio em algum momento depois que ela morreu, resultando em queimaduras no rosto, parte superior do corpo e do vestuário. Ela e o menino, que tinha 7 anos, tinham crânios levemente alongados, criado deliberadamente por envolvimentos na cabeça – um sinal de status social elevado, possivelmente até mesmo realeza.
Menina do Relâmpago
Os cientistas trabalharam com os corpos em um laboratório especial, onde a temperatura do laboratório inteiro poderia cair para 0 graus, e as múmias nunca foram expostas a temperaturas mais elevadas por mais de 20 minutos a uma hora de tempo, para evitar o descongelamento.
Testes de DNA revelaram que as crianças eram independentes, e tomografias mostraram que eles estavam bem nutridos e não tinham ossos quebrados ou outros ferimentos. A “Donzela” aparentemente tinha sinusite, bem como uma doença pulmonar chamada bronquiolite obliterante, possivelmente o resultado de uma infecção.
“Há dois lados”, disse Dr. Miremont. “O científico – podemos ler o passado das múmias e os objetos. O outro lado diz que essas pessoas vieram de uma cultura que sobreiveu, e um lugar santo na montanha. “
Alguns consideram a exposição como se estivessem numa igreja, disse Dr. Miremont.
“Para mim, é um museu, não é um lugar santo”, disse ele. “O lugar santo é no topo da montanha.”
As montanhas ao redor de Salta abrigam pelo menos 40 locais de sepultamento, outros sacrifícios rituais, mas o Dr. Miremont disse que o povo nativo que vivem nessas regiões não querem mais corpos retirados.
“Vamos respeitar os seus desejos,” disse Dr. Miremont, acrescentando que três múmias foram suficientes. “Não é necessário quebrar túmulos mais. Gostaríamos de ter boas relações com o povo local.”

Comentarios no Facebook

Comentarios

Posts relacionados

Deixe seu comentário

    1. José Francisco do Vale disse:

        Não podemos contestar cultura, religiosidade de um povo, como também impor pensamentos que lhes são próprios. De certo modo a descoberta dessas múmias deu uma grande oportunidade aos cientistas em descobrir como essas pessoas viviam, como eram seus costumes e como era a prática da sua religiosidade. O Dr. Miremont foi muito feliz, em sinal de respeito, não fazer mais retiradas de corpos do monte, considerado pelos nativos, lugar santo.

    2. Daiana disse:

        coitados,é uma crença muito peverça…porque nao fazem isso com adultos,tem que ser logo com crianças? tenho certeza que Deus nao se agrada disso nenhum pouco,pode ser a religiao deles mais Deus nao esta satisfeito com isso nao.

    Email (Não será publicado) (Obrigatório)