Desespero das emissoras em 2012

 

O ano não foi nada interessante para a televisão e para o público. Digo isso porque poucos programas marcaram 2012 e têm a oportunidade de serem fortes lembranças em um futuro próximo. Vou começar pela emissora que, aos poucos, tem renascido, principalmente por conseguir acertar com apenas um produto.

Em maio, o SBT estreou a novela Carrossel, adaptação da história mexicana exibida com sucesso na década de 1990. A direção da emissora esperava dez pontos, mas a trama surpreendeu e chega com facilidade aos 15. Passou por cima da Record com seus jornais e novelas. A história infantil de Silvio Santos promete ficar no ar até maio de 2013, completando mais de 200 capítulos.

Desconsiderando essa produção, que não tem nada de especial, o SBT pouco apresentou neste ano. O retorno do Bozo, dentro do Bom Dia & Cia, no início de dezembro foi um verdadeiro mico. É impossível entender o motivo dessa volta, já que a programação infantil poderia ficar do jeito que estava. Resta aguardar que em 2013 o canal resolva mostrar investimentos em outras áreas, como o jornalismo e o entretenimento.

E com o sucesso de Carrossel, a Record viu a sua programação afundar de vez. O horário nobre tem conseguido pequenas reações neste fim de ano, mas longe do que a emissora espera como resultado por suas “estratégias”. Máscaras, de Lauro César Muniz, ajudou a derrubar os índices das novelas, e Balacobaco, que prometia recuperar o público só terminou de afastá-lo. Como tentativa de saída do fundo do poço, Rei Davi entrou no ar, porém sem impacto.

A manhã também caiu. Antes, a equipe do Hoje em Dia se gabava de ter renovado o horário, mas agora prova do próprio veneno. Não trouxe nada de novo nos últimos tempos e só perde telespectadores. O Programa da Tarde, que ainda não possui um formato definido e muito menos interessante, está garantido para a grade de 2013. Vamos ver até quando.

CURTA A GENTE NO FACEBOOK!

No entanto, se os últimos doze meses nos ensinaram alguma coisa foi que a Record também sabe ter uma “grade voadora”. O principal erro do SBT foi cometido à exaustão pela emissora de Edir Macedo. Rebelde, por exemplo, despencou de dez pontos para três, após diversas mudanças de horário. O público reclamou e chegou a boicotar a trama.

De novidades, prometem um programa de talentos com Rafael Cortez, o remake de Dona Xepa, a nova novela de Carlos Lombardi, além da minissérie bíblica José do Egito, que foi adiada para o meio do ano. O principal, que é colocar pessoas que entendem de TV no comando, ainda não dá indícios de ocorrer.

A Band tentou segurar o sucesso de seu horário nobre, mas Carrossel também atrapalhou a emissora, já que subiu os índices do SBT no mesmo horário. O destaque de 2012 fica para o Quem Fica em Pé, comandado por Datena, que se revelou um bom apresentador de game show e deveria nos deixar em paz longe do Brasil Urgente, seu desejo antigo.

Além disso, pouca coisa nova surgiu na emissora do Morumbi. Veio o Muito +, de Galisteu, no início do ano, mas saiu do ar em outubro. O programa entra para a lista de atitudes desesperadas da loira em sua carreira na televisão. Em janeiro de 2013, estreia a segunda temporada de Mulheres Ricas, que está longe de ser algo novo para o público. Prometem um investimento em teledramaturgia.

Na Globo, a situação também não foi a das melhores. O sucesso do ano foi, com certeza, Avenida Brasil, que fez Adriana Esteves, Débora Falabella e José de Abreu brilharem em seus respectivos papéis. A novela trouxe uma trama bem amarrada, apesar do final fraco, extremamente ágil, com visual de cinema e cenas memoráveis para o telespectador. Quem não se lembra dos exageros de Carminha e das frases de impacto de Suellen, interpretada por Isis Valverde?

Porém, o ano foi marcado foi mudanças mais drásticas na grade de programação da líder. Recentemente, anunciaram o fim de Aventuras de Didi – Valeu, Globo – e do programa Casseta e Planeta Vai Fundo. Há as promessas de Os Caras de Pau e a atração de Xuxa terem o mesmo destino triste, mas cá entre nós: necessário.

As novelas atuais também não conquistaram o público, o que surpreendeu a própria emissora, já que Cheias de Charme e Avenida Brasil foram verdadeiros sucessos. Logo no dia 08 de janeiro de 2013, veremos mais uma edição do Big Brother Brasil, que não traz nada de novo, mas fingimos que está repleto de atrações e ideias diferentes.

Este deve ser um dos piores momentos da RedeTV!. A quinta colocada está quase sendo ultrapassada pela Cultura, mas com uma explicação simples: sua administração é pífia e vergonhosa. Dezenas de atrasos salariais, além de problemas com equipamentos, funcionários sem benefícios e perda de programas e patrocinadores importantes. O jornalismo e o esporte, que eram setores mais importantes, já se perderam no meio da crise. Resumindo: um caos.

E a tendência é piorar. Mas, a emissora acha que um novo programa com a limitada Luciana Gimenez e um outro de humor (?) podem salvar o canal. Daniela Albuquerque também voltará, e em dose dupla, em março do ano que vem. Sim, ficará bem pior.

O ano foi ruim para a televisão. Vimos o retorno completo do sensacionalismo – com Cidade Alerta e Balanço Geral – e da falta de criatividade – em programas de entretenimento, principalmente -, mas como fãs dessa mídia esperamos que as produções melhorem e que as emissoras saibam realmente investir em uma grade variada e que respeite o telespectador.

 

Deixe seu Comentario!

Email (Não será publicado) (Obrigatório)