Conheça as histórias “secretas” de Steve Jobs

6235081373193515 Conheça as histórias secretas de Steve Jobs

Se você gosta de tecnologia, com certeza já ouviu falar ou sabe muita coisa sobre Steve Jobs, o empresário que fez da Apple a referência em inovação que ela é. E, apesar da biografia lançada após o seu falecimento, algumas histórias deixaram de ser contadas.

Escondam os Porsches!

Quando Steve Jobs saiu da Apple, em 1985, ele criou uma empresa chamada NeXT Computer e chamou Randy Adams — que tinha acabado de vender a sua companhia — para trabalhar como engenheiro de software. Um tempo depois e por uma coincidência, os dois acabaram comprando um Porsche 911 ao mesmo tempo.

Os carros iguais não eram um problema, até que Jobs pediu para que Adams escondesse o seu veículo. A resposta foi simples: Ross Perot estava indo conhecer a empresa para saber se ia entrar no negócio e, por conta disso, era melhor não passar a aparência de que eles tinham muito dinheiro.

No final das contas, a estratégia realmente deu certo, tanto que foram investidos US$ 20 milhões na NeXT Computer.

Humilhações públicas

Guy Kawasaki, que trabalhava na Apple ligado à comunidade de desenvolvedores Mac, conta que Steve Jobs entrou no seu escritório acompanhado de um estranho e perguntou o que ele achava sobre os softwares desenvolvidos pela Knoware — empresa que desenvolvia aplicativos para os Macs da época.

Kawasaki deu uma resposta franca na frente das duas pessoas, mostrando que a sua opinião era extremamente negativa. Quando ele terminou de falar, Jobs simplesmente apresentou o outro homem dizendo “este é CEO da Knoware”.

Segundo Kawasaki, quem trabalhou na Apple diretamente com Steve Jobs estava sujeito a humilhações públicas, de forma que os seus defeitos fossem realmente mostrados. Em contrapartida, Steve Jobs era um dos poucos gestores do ramo que sabia abrir brechas para extrair o melhor de seus funcionários.

Trabalhador esforçado

Nolan Bushnell, fundador da Atari e um dos primeiros empregadores de Jobs, diz que Steve era um empregado fora do comum, pois estava disposto a trabalhar muito mais do que os outros. Um exemplo disso é o fato que era comum encontrá-lo dormindo debaixo da sua mesa depois de uma noitada — atitude tomara para não perder a hora e não deixar trabalho por fazer.

Deixe seu Comentario!

    Atualmente Temos 1 comentário Quero comentar!
  1. Hopi Barros disse:

      Grandes homens, fazem grandes coisas.

Email (Não será publicado) (Obrigatório)