Coca-Cola produz refrigerante sustentável Será? (Veja a Matéria)

Coca-Cola produz refrigerante sustentável – e polêmico

Hábitos saudáveis de vida estão cada vez mais em pauta, felizmente. As pessoas têm se preocupado mais com a qualidade de sua alimentação, com a prática de exercícios físicos e com os efeitos de um dos grandes vilões de todos os tempos: o açúcar. No sentido doce da coisa, quem está com a reputação meio suja são os refrigerantes, que contêm quantidades enormes e “inúteis” de açúcar – diferente do açúcar de uma fruta, por exemplo, que tem vitaminas e fibras, o refrigerante não traz benefícios.

Para tentar mudar a fama dos refrigerantes, a Coca-Cola criou uma nova versão, considerada mais saudável. A mudança visível é nas embalagens da bebida, que perdeu o fundo vermelho de seu logotipo e deu lugar a um fundo verde, mais “sustentável”.

Mudanças

Fonte da imagem: Reprodução/Brandinlabs

Nossos hermanos argentinos foram os primeiros a testar a novidade, em junho deste ano. Entre as outras mudanças da marca, a Coca afirma que a versão de baixa caloria agora é feita com um adoçante fresco e natural, seguro para o consumo.

A versão normal da bebida também ganhou um modelo ecologicamente correto, e disponibiliza uma opção de refrigerante com uma redução de 60% de calorias. Nomeada como “Coca-Cola Life”, a edição busca usar produtos mais naturais, como o adoçante stevia, extraído de plantas nativas aqui da América do Sul.

De acordo com o representante da marca, Bob Mondello, o refrigerante continua com o sabor de sempre, mesmo após a mudança do tipo de adoçante utilizado. Além disso, os refrigerantes fabricados com stevia são vendidos em garrafas recicláveis, compostas de 30% de fibra vegetal.

Contrapontos

Fonte da imagem: Reprodução/Pluspack

Bom demais para ser verdade? É lógico que a gigante produtora de refrigerantes não sairia triunfando com novos discursos e ideias. Alguns estudos feitos após a divulgação da Coca-Cola sustentável indicam fatores contraditórios, como o fato de que a produção dessas garrafas requer grandes quantidades de água. Além disso, a embalagem reciclável e não biodegradável, segundo alguns especialistas, agrava as condições de aterros sanitários.

O que você acha? Defende a ideia da Coca-Cola ou acredita que ela está resolvendo um problema e criando outro? De qualquer forma, vale reparar que o que provocou a mudança foi uma demanda maior por produtos sustentáveis, e isso serve para que você lembre que, no final das contas, a opinião do consumidor vale muito. Quanto mais qualidade e preocupação com o meio ambiente forem exigidas, mais as empresas vão se importar com isso.

Fonte: www.megacurioso.com.br

Deixe seu Comentario!

Email (Não será publicado) (Obrigatório)