Nova música do Chorão. Parece que ele já sabia da sua morte.

 

https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcTYM3vpS0cU6NWjhd1MxNBw3OGxiLJNezRaEI53GLfI4GjbO2Mg

Escute a música lendo a letra ,depois você me diz se ele já sabia da sua partida.

Como se o silêncio dissesse tudo
Um sentimento bom que me leva pra outro mundo
A vontade de te ver já é maior que tudo
Não existem distâncias no meu novo mundo

Tipo coisas da sétima arte
Aconteceu sem que eu imaginasse

Sonho de consumo cantar na sua festa
Vem dançar comigo
Aproveita e me sequestra
Amor vagabundo, intenso ou muita pressa
Não sei como termina mas sei como começa

Fiz essa canção pra dizer algumas coisas
Cuidado com o destino
Ele brinca com as pessoas
Tipo uma foto com sorriso inocente
Mas a vida tinha um plano e separou a gente

Mas se quem eu amo tem amor por mim
Se quem eu amo tem amor por mim
Eu sei que ainda estamos muito longe do fim

A vontade de te ver já é maior que tudo
E não existem distâncias no meu novo mundo
A vontade de te ver já é maior que tudo
E não existem distâncias no meu novo mundo
A vontade de te ver já é maior que tudo
E não existem distâncias no meu novo mundo
A vontade de te ver já é maior que tudo
E não existem distâncias no meu novo mundo

Fiz essa canção pra dizer algumas coisas
Cuidado com o destino
Ele brinca com as pessoas
Tipo uma foto com sorriso inocente
Mas a vida tinha um plano e separou a gente

Mas se quem eu amo tem amor por mim
Se quem eu amo tem amor por mim
Eu sei que ainda estamos muito longe do fim

A vontade de te ver já é maior que tudo
E não existem distâncias no meu novo mundo
A vontade de te ver já é maior que tudo
E não existem distâncias no meu novo mundo
A vontade de te ver já é maior que tudo
E não existem distâncias no meu novo mundo
A vontade de te ver já é maior que tudo
E não existem distâncias no meu novo mundo

 

Conheça o novo CD de Capital Inicial: Saturno

 

Capital

Deste a virada do século, o Capital Inicial renovou a sua proposta musical para mergulhar de uma vez no universo do pop rock. Pode se dizer que é uma das melhores atualmente tocando no Brasil.

Em seu novo álbum, Saturno (não ligue para a capa tosca), os velhos meninos fazem uma ótima mescla de sons, incluindo o alternativo, inspirado por bandas como The Killers e The Muse, podendo ser conferido nas músicas O Bem, o Mal e o IndiferenteO Cristo Redentor. Ainda tem os hits pops O Lado Escuro da Lua e Água e Vinho, mostrando que eles continuam criando refrãos que não saem da cabeça. Se você é fã da veia punk, não se desespere, Saquear Brasília é o novo hino de protesto contra os políticos brasileiros.

O CD estaria incompleto se não tivesse aquela música marcante que você cantará por muito tempo, igualmente Vamos Comemorar do últimoDas Kapital. Poucas Horas é o nome desta canção que já vale pelo CD inteiro. Levando você para fora do Planeta.

Tracklist:

01. O Bem, o Mal e o Indiferente
02. Água e Vinho
03. O Lado Escuro da Lua
04. Saquear Brasília
05. Apocalipse Agora
06. O Cristo Redentor
07. Saturno
08. Noites em Branco
09. Poucas Horas
10. A Valsa do Inferno
11. Sol Entre Nuvens
12. Eu Ouço Vozes
13. Um Homem Sem Rosto

Nota: Ótimo

Um dos maiores músicos do mundo,faz pegadinha.

“Um homem sentou-se numa estação de metro de Washington DC e começou a tocar violino, era uma fria manhã de Janeiro; Ele tocou seis peças de Bach durante aproximadamente 45 minutos. Durante esse tempo, já que era hora de ponta, cacula-se que cerca de 1,100 pessoas atravessaram a estação, a sua maioria, a caminho do tabalho.</p><br /> <p>Três minutos passaram quando um homem de meia idade notou que o músico estava a tocar, abrandou o passo e parou por alguns segundos, mas continuou depois o seu percurso para não chegar atrasado.</p><br /> <p>Um minuto depois , o violinista recebeu o seu primeiro dólar, uma senhora atirou o dinheiro sem sequer parar e continuou o seu caminho.</p><br /> <p>Alguns minutos depois, alguêm se encostou à parede para o ouvir, mas olhando para o relógio retomou a marcha. Estava claramente atrasado para o trabalho.</p><br /> <p>Quem presto maior atenção foi um menido de 3 anos. A mãe trazia-o pela mão, apressada, mas a criança parou para olhar para o violinista. Finalmente, a mãe puxou-o com mais força e o miúdo continuou a andar, virando a cabeça várias vezes para ver o violinista. Esta acão foi repetida por várias outras crianças. Todos os pais, sem exceção, obrigaram as crianças a prosseguir.</p><br /> <p>Nos 45 minutos em que o músico tocou, somente 6 pessoas pararam por algum tempo. Cerca de 20 deram-lhe dinheiro mas continuaram no seu passo normal. Ele recoletou cerca de 32 dls. Quando ele parou de tocar e o silencio tomou conta do lugar, ninguêm se deu conta. Ninguêm aplaudiu, nem houve qualquer tipo de reconhecimento.</p><br /> <p>Ninguêm sabia que este violinista era Joshua Bell, um dos mais talentosos músicos do mundo. Ele tocou algumas  das peças mais elaboradas alguma vez escritas num violino de 3,5 milhões de dólares.</p><br /> <p>Dois dias antes de  tocar no metro, Joshua Bell esgotou um teatro em Boston, onde cada lugar custou em média 100 dls.</p><br /> <p>Esta é uma história real, Joshua Bell tocou incógnito na estação de metro num evento organizado pelo Washington Post que fazia parte de uma experiência social sobre perceção, gostos e prioridades.</p><br /> <p>O outline era: num lugar comun, numa hora inapropriada: Somo capazes de perceber a beleza? Paramos para a apreciar? Reconhecemos o talento num contexto inesperado?</p><br /> <p>Uma das possiveis conclusões que se podem sacar desta experiência podem ser: Se não temos um momento para parar e escutar a um dos melhores músicos do mundo tocar algumas das músicas mais bem escritas de sempre, quantas outras coisas estaremos perdendo?”</p><br /> <p>Partilhe,se parou para ler isto ;)

“Um homem sentou-se numa estação de metro de Washington DC e começou a tocar violino, era uma fria manhã de Janeiro; Ele tocou seis peças de Bach durante aproximadamente 45 minutos. Durante esse tempo, já que era hora de ponta, cacula-se que cerca de 1,100 pessoas atravessaram a estação, a sua maioria, a caminho do tabalho.Três minutos passaram quando um homem de meia idade notou que o músico estava a tocar, abrandou o passo e parou por alguns segundos, mas continuou depois o seu percurso para não chegar atrasado.Um minuto depois , o violinista recebeu o seu primeiro dólar, uma senhora atirou o dinheiro sem sequer parar e continuou o seu caminho.

Alguns minutos depois, alguêm se encostou à parede para o ouvir, mas olhando para o relógio retomou a marcha. Estava claramente atrasado para o trabalho.

Quem presto maior atenção foi um menido de 3 anos. A mãe trazia-o pela mão, apressada, mas a criança parou para olhar para o violinista. Finalmente, a mãe puxou-o com mais força e o miúdo continuou a andar, virando a cabeça várias vezes para ver o violinista. Esta acão foi repetida por várias outras crianças. Todos os pais, sem exceção, obrigaram as crianças a prosseguir.

Nos 45 minutos em que o músico tocou, somente 6 pessoas pararam por algum tempo. Cerca de 20 deram-lhe dinheiro mas continuaram no seu passo normal. Ele recoletou cerca de 32 dls. Quando ele parou de tocar e o silencio tomou conta do lugar, ninguêm se deu conta. Ninguêm aplaudiu, nem houve qualquer tipo de reconhecimento.

Ninguêm sabia que este violinista era Joshua Bell, um dos mais talentosos músicos do mundo. Ele tocou algumas das peças mais elaboradas alguma vez escritas num violino de 3,5 milhões de dólares.

Dois dias antes de tocar no metro, Joshua Bell esgotou um teatro em Boston, onde cada lugar custou em média 100 dls.

Esta é uma história real, Joshua Bell tocou incógnito na estação de metro num evento organizado pelo Washington Post que fazia parte de uma experiência social sobre perceção, gostos e prioridades.

O outline era: num lugar comun, numa hora inapropriada: Somo capazes de perceber a beleza? Paramos para a apreciar? Reconhecemos o talento num contexto inesperado?

Uma das possiveis conclusões que se podem sacar desta experiência podem ser: Se não temos um momento para parar e escutar a um dos melhores músicos do mundo tocar algumas das músicas mais bem escritas de sempre, quantas outras coisas estaremos perdendo?”
http://sphotos-g.ak.fbcdn.net/hphotos-ak-ash3/s480x480/540798_137017329790816_375551373_n.png

Homenagem a todos os músicos

Esta semana  comemorou-se o  dia do músico, não importa se você faz isso profissionalmente ou apenas por diversão.

Só quem é cantor, compositor e instrumentista sabe como é difícil ser reconhecido pelo seu talento. Além, claro, do preconceito que algumas pessoas tem com quem decide fazer da musica a sua vida.

Por isso e outras coisas eles merecem nossa homenagem.

Que tal fazer isso com muito bom humor?

Então, ouça a canção “Como Nossos Pais (Nos Aguentam)?” da banda Pedra Letícia. A letra desta música fala de uma maneira bem divertida sobre quem decide seguir a carreira musical.

“A MÚSICA É A LINGUAGEM UNIVERSAL”

 

Postado por Gilson Luiz Feldhaus Junior

Veja mais em Estímulo Sonoro

 

Google cria site para tocar instrumentos online

Para manter a posição que alcançou no mercado de serviços online, a Google sempre busca trazer novidades para seus usuários.

A bola da vez é o site JamWithChrome, criado pela gigante da internet especialmente para os amantes de música.

Com esta ferramenta você poderá escolher um instrumento musical e junto com seus amigos fazer uma jam session virtual.

Clique aqui e se divirta!!!

Assista o vídeo de divulgação abaixo:

“A MÚSICA É A LINGUAGEM UNIVERSAL”

 

Postado por Gilson Luiz Feldhaus Junior

Veja mais em Estímulo Sonoro

 

Metallica lança dois modelos de gravatas

 

Gravata é uma das coisas que nunca fez parte do meu vestuário, não faz meu tipo. Quem sabe no meu velório, daí sim, serei obrigado mesmo contra minha vontade.

Mais se você é metaleiro e precisa usar no seu ambiente de trabalho ou quem sabe em alguma evento mais formal tenho uma boa notícia.

A banda Metallica acabou de lançar dois tipos de gravatas personalizadas. Uma com o logotipo muito usado pelo grupo e outra com a serpente presente na capa do “Black Album”.

Para quem tiver o interesse em adquirir o acessório e só clicar nos nomes acima das imagens.

Ninja Star Necktie

 

Snake Necktie

 

“A MÚSICA É A LINGUAGEM UNIVERSAL”

 

Postado por Gilson Luiz Feldhaus Junior

Veja mais em Estímulo Sonoro

7 temas musicais do agente 007

“Meu nome é Bond, James Bond”, com certeza você já ouviu esta frase pelo menos uma vez na vida. Claro que sim, pois este é o bordão do mais famoso espião das telonas.

A história do agente com permissão para matar começou a 50 anos atrás, com a missão de combater o satânico Dr No.

Depois disso ele teve vários outros desafios como lutar contra o homem da pistola de ouro, não permitir a explosão de duas bombas atômicas e deter alguns agentes que se apossaram de um poderoso satélite para fins maléficos e outras aventuras presentes nos 23 filmes da série.

Além das inúmeras cenas de ação com direito a armas e apetrechos existentes somente na ficção e os romances do 007 com belíssimas mulheres, outro grande destaque da filmografia são as trilhas sonoras.

São muitas as canções que ajudaram a abrilhantar ainda mais a trama do personagem, com a interpretação de artistas consagrados. Eu optei por citar apenas sete, foi difícil escolher, sei que deixei de fora excelentes músicas e posso ter colocado algumas que não agradarão a todos. Mas é um risco necessário quando o assunto é criar uma lista.

Confira os sete temas abaixo:

James Bond Theme (Moby´s Re-version) – Moby

 
Live And Let Die – Paul McCartney And Wings

 
The World Is Not Enough – Garbage

 

A View To A Kill – Duran Duran



Another Way To Die Alicia Keys  Jack White 



Goldeneye – Tina Turner





Skyfall – Adele


“A MÚSICA É A LINGUAGEM UNIVERSAL”

 

Postado por Gilson Luiz Feldhaus Junior

Veja mais em Estímulo Sonoro

Pessoas que ouvem “Aí se eu te pego” não pensam direito?

mic 2 Pessoas que ouvem “Aí se eu te pego” não pensam direito?

Joe Bishop, que escreve para o The Guardian, importante publicação inglesa, fez na semana passada a análise do sucesso de Teló, e deixou bem claro o que pensa dele e das pessoas que gostam da música. Primeiro ele disse que os sul-americanos não têm bom gosto para música pop e que a canção mais parece um jingle de rádio romena.

Para terminar ele completou polemizando: “Aí se eu te pego virou hit em quase todos os lugares, menos aqui (Inglaterra) e nos EUA, onde as pessoas são normais e pensam direito.”

Aqui no Brasil a música foi um sucesso total e certamente milhões de pessoas gostam dela. Será que o inglês está certo e o povo não anda pensando bem por essas bandas e a música é ruim mesmo? Ou ele está errado e a música é boa? Você decide.